26 de setembro de 2021

ONDE ESTÁ A SUA MENTE EM SIRSHÁSANA?



HUMBERTO J. MENEGHIN

 

Sirshásana é a postura de inversão do Yoga em que o praticante está de ponta cabeça. Considerada a rainha dos ásanas muitos comumente adotam-na durante a prática pessoal e outros a evitam preferindo substitui-la pelo cachorro que olha para baixo ou uttanásana por serem de fácil execução e por trazerem quase os mesmos efeitos, mas de forma reduzida. No entanto, estando você em sirshásana, caso considere este ásana indispensável, onde está a sua mente? Esta totalmente concentrada em sirshásana ou está pensando no que você vai fazer daqui a pouco ou naquilo que não saiu do jeito que você queria?

 

Para se sentirem mais seguros ou seguras, muitos praticantes executam a postura de inversão sirshásana próximos a uma parede visto que têm como objetivo de permanecerem nela de três a cinco minutos, faça chuva ou faça Sol ou mesmo se naquele determinado dia só uma postura de Yoga tem vontade de fazer.  

 

Logo que começa a se posicionar para construir o sirshásana, o praticante lembra-se da opção apresentada por Iyengar em que a postura do apoio da cabeça ao chão é realizada entre um encontro de paredes de um cômodo, ou seja, numa confluência, tal que ao se colocar no ásana com os pés lá para cima, os ombros ficam protegidos tornando muito mais difícil qualquer possível queda.

 

Estando apto ou apta a praticar a inversão sirshásana, não tendo o praticante pressão alta ou qualquer problema cardíaco ou glaucoma dentre outras contraindicações, com certeza o praticante terá certa cautela em relação à cervical para evitar comprimi-la em demasiado preferindo sustentar boa parte do peso do corpo aos antebraços, mantendo os ombros alinhados com o bandha uddiyana ativo e a respiração de forma suave ou com ujjayi, tendo o bom senso de permanecer por trinta segundos ou menos tempo se for iniciante bem como contar com o auxílio do professor ou professora que estará a postos a evitar um colapso ao chão, caso não esteja praticando por conta própria.

  



 

Mas, então, onde está a sua mente em sirshásana? Na cabeça; muitos literalmente podem afirmar.

No entanto, a mente de muita gente pode realmente estar se preocupando sobre o que fará depois de terminar esta inversão e aula ou ainda martelando aquele episódio não resolvido que aconteceu a semana passada e que ainda não se conforma que aconteceu da forma como aconteceu.

 

Por outro lado a mente em sirshásana comumente pode se voltar a contar as respirações seja em ujjayi ou não, lembrando que cerca de 30 ujjayis podem corresponder mais ou menos a 1 minuto de tempo transcorrido e se o praticante contar 90 ujjayis terá ficado 3 minutos em sirshásana, o que é indicado para a saúde geral conforme mencionado em livros sobre ásanas.

 

Outros praticantes, por sua vez, resolvem realizar uma rotação da consciência em seu corpo quando em sirshásana, notando o efeito contrário da gravidade atuando pelo corpo, liberando o fluxo sanguíneo lá dos membros inferiores para tonificar os órgãos, trazer mais sangue e prana ao cérebro para neste perceber que os neurônios e as glândulas estão sendo nutridas possibilitando que os hemisférios funcionem melhor.

 

Ainda, há aqueles ou aquelas que em sirshásana resolvem aproveitar para firmarem o seu sankalpa ou até uma simples afirmação positiva apresentada pela Louise Hay, bem como firmar um dos decretos de Saint Germain “Eu Sou a porta aberta que nenhum homem pode fechar”, por exemplo. Ou, também fazer um mantra para Ganapati ou Shiva.

 

E se você quer uma resposta para algo, quem sabe uma orientação ou intuição sobre determinado assunto, experimente fazer uma pergunta a você mesmo quando em sirshásana. Ho’oponopono também vale!

Harih Om!

HUMBERTO J. MENEGHIN
é praticante e professor de Yoga em Campinas/São Paulo, Brazil. Tem Formação em Yoga com Pedro Kupfer e estuda Vedanta com Glória Arieira. 

Especializou-sem em Yoga Terapia Hormonal para a Menopausa e Problemas Hormonais com Dinah Rodrigues e também Yoga Terapia Hormonal para Diabetes e Hormônios Masculinos. 

Para o site www.yoga.pro.br escreveu vários artigos e traduziu textos sobre Vedanta de autoria de Sri Swami Dayananda Saraswati com quem já teve o privilégio de estudar nos Vedanta Camps em Rishikesh-Índia

Participou do Teacher Training de Ashtanga Vinyasa Yoga – Primeira Série – com David Swenson, em Austin, Texas, USA. 

Foi colunista do website da revista Yoga Journal Brasil.  

 estudou e praticou com professores de Yoga americanos em 6 conferências da Yoga Journal Live New York. Edita e escreve para o blog Yogaemvoga. 

MARQUE PRÁTICAS & WORKSHOPS DE YOGA: humbertomeneghin@yahoo.com.br

Curta/LIKE:

https://www.facebook.com/ADOROYOGA/

Nenhum comentário:

Postar um comentário