26 de março de 2017

LOTUS: O MUDRA DO AMOR E DA COMPAIXÃO





HUMBERTO J. MENEGHIN


Com a intenção específica de abrir o coração e ativar o anahata chakra, o mudra da flor de Lotus ou Padma mudra tem por fim específico estabilizar e harmonizar a mente, enquanto direciona a energia e a atenção do praticante a um estado de introspecção onde o amor e a compaixão prevalecem. Pura, a Flor de Lotus nasce da lama e quando as impurezas tentam atingir suas pétalas, ela não as retém.



De fácil e simples execução, o praticante para fazer o mudra de Lotus, em um primeiro momento, traz as mãos juntas frente ao peito, próximas ao coração, mantendo os calcanhares das mãos unidos, para depois abri-las, para observar o contato das pontas dos dedos mínimos com eles mesmos e do polegar esquerdo com o direito.


Os demais dedos permanecem separados, abertos e firmes, na medida do possível confortáveis para na sequência o praticante se conectar com a respiração que flui do centro do peito podendo até visualizar que suas mãos são a flor de Lotus, de onde emana compaixão e amor.








Enquanto realiza o mudra de Lotus, o praticante pode escolher em se manter sentado em padmásana, que é a postura de Lotus propriamente dita, se os joelhos e tornozelos estiverem bem e não por muito tempo, ou se preferir ficar em sukásana.


Outra opção é permanecer em pé, em tadásana, segurando a sua Lotus aberta e viva, com as pétalas rosadas e o centro dourado cheio de brilho e Luz, entendendo que já é puro e límpido, enquanto cultiva a compaixão, o amor e a gratidão que pouco a pouco se fazem presentes a sua volta e em tudo.

Harih Om!

Curta/LIKE:



Nenhum comentário:

Postar um comentário