11 de março de 2018

SHAMBHAVI MUDRA: SE FAZ COM OS OLHOS E ATIVA O AJNA CHACKRA




HUMBERTO J. MENEGHIN


Também conhecido como bhrumadhya drishti, o shambhavi mudrá pode parecer desconfortável aos olhos para quem o realiza pela primeira vez; no entanto, com a prática, esse mudrá torna-se uma boa técnica para levar ao estado de concentração e meditação, permitindo, ainda, ativar o ajna chackra, mesmo que esse não seja o objetivo principal.


Inserido no Kriya Yoga, mas também muito disponível a todos os praticantes, o shambhavi mudra passa a ideia de que quando se executa, fica-se vesgo, vesgo por que o olhar se converge em direção a um ponto que está no espaço entre a sobrancelhas.

1. Para realizar o shambhavi mudrá, o praticante senta-se numa postura confortável, com a coluna reta seja sobre o tapete de Yoga, uma almofada ou em uma cadeira para adotar um mudrá com as mãos, como por exemplo o jnana mudrá, em que as pontas dos polegares e indicadores se tocam.

2. Por um momento, toma-se consciência do corpo, relaxando-o devidamente e ainda fazendo alguns ajustes, se precisar, para não se mexer durante a prática.

3. Os olhos se fecham e relaxam, os músculos da face e a testa também estão relaxados para logo após os olhos se abrirem e focarem um ponto à frente.

4. Então, o praticante converge o olhar para cima, no ponto entre a sobrancelhas, sem que a cabeça se mova. Sutilmente lá em cima, os olhos notam um leve formato de V e permanecem ali apenas por alguns segundos.

5. Sim, o praticante sentiu uma leve puxada nos olhos e então os relaxa saindo do shambhavi mudrá.

6. Então, repete novamente as ações acima descritas ficando por mais alguns segundos percebendo uma leve ardência nos olhos seguida por uma leve lubrificação não chegando a lacrimejar. Mais uma vez deixa o mudrá feito com os olhos, relaxa e retorna para mais um ciclo.

7. Após, cerca de três a cinco ciclos, deixa de fazer o shambhavi mudrá, fecha os olhos e observa internamente, em chidakasha.

8. A respiração se mantém livre durante a prática do shambhavi mudrá; no entanto, para os praticantes mais acostumados com esse mudra, a respiração pode ser retida no momento em que os olhos estão focados para cima, entre as sobrancelhas.

9. Se o incômodo for muito quando se eleva os olhos para o ponto entre as sobrancelhas, o shambhavi mudrá deve ser evitado, bem como para quem tem glaucoma ou outro problema ocular na retina e ainda implante de lentes ou passou por uma cirurgia de cataratas.

10. No entanto, o shambhavi mudrá fortalece os músculos dos olhos, removendo as tensões, acalma a mente, alivia o estresse, desenvolvendo a concentração.

11. Praticantes que o realizam com frequência, sentem-se mais relaxados, num estado de concentração profunda alternado a um breve momento de meditação. Pontos azuis podem ser percebidos e ainda uma leve pressão no ajna chackra. A prática regular do shambhavi mudrá contribui para adiar a degeneração da glândula pineal.

12. Logo que esteja acostumado à prática, o shambhavi mudrá pode ser feito com os olhos fechados atentando-se para que eles fiquem voltados lá para cima, no espaço entre a sobrancelhas.





É comum que alguns praticantes quando fazem certas posturas de Yoga, como por exemplo, retroflexões ou até mesmo a postura do gato, elevem o olhar internamente para o ponto entre as sobrancelhas.

No Gheranda Samhita é dito que aquele que se aperfeiçoa no shambhavi mudrá torna-se como Shiva, Vishnu e Brahma. Haja prática!

Para finalizar o shambhavi mudrá, fica a dica de atritarmos as palmas das mãos, aquecendo-as em especial os dedos médios para logo após as posicionarmos em concha, sobre os olhos para absorver o prana.

Harih Om!

Curta/LIKE:



Nenhum comentário:

Postar um comentário