10 de setembro de 2017

VOU PARAR DE COMER DOCE E EMAGRECER SE EU “FIZER YOGA”?




HUMBERTO J. MENEGHIN


Foi convidada pelas amigas para ir ao cinema assistir a um bom filme. Após o término da sessão, resolveram colocar o papo em dia e pararam numa sorveteria. Foi só no dia seguinte que veio o arrependimento de ter consumido várias rodadas de sorvete principalmente o de nozes pecan, que estava uma delícia! Então, resolveu perguntar a um professor de Yoga: vou parar de comer doce e emagrecer se eu “fizer yoga”?


Parecia uma pergunta truncada, sem que houvesse uma resposta definida. No entanto, sem que recebesse uma resposta positiva ou negativa foi convidada, primeiramente, a participar de uma prática de ásanas, o que era absolutamente algo novo para ela.

Aceito o desafio de imediato, pois estavam numa academia de musculação, subiu para a sala onde seria ministrada a aula de Yoga com a esperança de obter pelo menos uma resposta a sua pergunta.

Percebeu que havia sete pessoas no ambiente, contando com ela e o professor; que seria a sua primeira aula, mas não se sentia intimidada por isso pois a noção que tinha de Yoga era que se tratava de posturas de alongamento, algo meio parado, o que levaria com facilidade comparado com a musculação que fazia mais os aeróbicos na esteira.

No entanto, mesmo indo algumas vezes na semana numa academia percebeu que a musculação e os aeróbicos que fazia não estavam conseguindo parar a sua vontade de comer doces, sorvetes, chocolate, aquele brigadeiro da padaria da esquina e a torta Holandesa que amava de paixão.

Só de ter permanecido em silencio no começo da prática com a atenção voltada à respiração, como o professor havia pedido, já se sentia inquieta com uma vontade muito grande de sair de lá e mexer no seu smartphone que desligado estava. O professor ia dizendo algumas palavras, mas seu pensamento estava longe dali e; só foi quando pediu que fizessem um mantra, o OM, que se tocou que estava ali para “fazer Yoga”.

A turma começou a fazer a Surya Namaskar, a saudação ao Sol, movimentos dinâmicos sincronizados com a respiração. Achou fácil, logo pegou o jeito e acompanhou a sequência, sem qualquer problema; e, por sua surpresa percebeu que aquilo causava transpiração, mexia com o corpo destravando algo que nem sabia que estava travado dentro de si. E, aos poucos, percebeu que algumas posturas eram incluídas no meio da fluidez, no vinyasa, como diziam.

Foi indo e indo e gostando, percebendo o professor direcioná-la nos ajustes notando que parecia mais concentrada no que fazia para numa outra etapa passarem a fazer algumas posturas pelo chão como torções, extensões, flexões até uma postura onde se elevava as pernas para cima se apoiando com os ombros.

Foi então que começou a perceber uma sensação de tranquilidade dentro da mente acompanhada por uma sensação de leveza muito boa, o que foi seguido de um relaxamento. 

Nem percebeu o tempo da aula de Yoga passar e antes que aquele momento acabasse o professor os conduziu num processo de concentração para tentarem meditar.


É natural que muitas pessoas ao longo do dia não conseguem conter aquela ânsia de comer algo doce como um chocolate, sorvete e outras guloseimas, o que denota que os níveis de açúcar do corpo não estão equilibrados. No entanto, estabilizar a quantidade de açúcar no corpo é essencial para uma boa saúde, manter o peso sob controle, reduzir o risco de diabetes tipo 2 e doenças cardíacas.


A praticante em questão que perguntou ao professor: vou parar de comer doce e emagrecer se eu “fizer yoga”? não obteve uma resposta direta, sendo convidada a tentar a prática primeiro e pelo visto sentiu muita diferença.


Se vai parar de comer doce ou não, depende unicamente dela, da boa dieta que adotar. E, o papel do Yoga no contexto será o de lhe dar mais autoconsciência para tirar-lhe do automático, da ansiedade, mostrando-lhe o caminho da liberação.

Harih Om!

Curta/LIKE:


Nenhum comentário:

Postar um comentário