5 de novembro de 2015

ESTOU PRATICANDO YOGA E PAREI DE FUMAR




HUMBERTO J. MENEGHIN


Todos sabemos quais são os malefícios do cigarro; no entanto, chega uma hora que não dá mais: ou se abandona o vício ou doenças mais graves se instalam.  Fumante inveterada por várias décadas, o médico lhe deu um ultimato para que parasse de fumar imediatamente. Indecisa, resolveu acatar a ordem, mesmo sabendo que já tentara antes sem sucesso; e, então, resolveu começar a praticar Yoga e aos poucos conseguiu largar o cigarro.


Não procurou a prática de ásanas com esse objetivo, o de parar de fumar, mas sim para se sentir melhor, menos agitada, menos ansiosa, mais relaxada e com a mente e o corpo mais equilibrado.


As posturas lhes foram apresentadas pouco a pouco e mesmo estando acima do peso conseguia realizá-las e as que ainda não estava totalmente apta seguia as adaptações que o professor lhe passava.


Então, descobriu os respiratórios, os pranayamas, como dizem e percebeu que eles lhe faziam muito bem, pois parecia que abriam os pulmões, oxigenavam o corpo, o cérebro, o que a fazia sentir-se mais tranquila, menos ansiosa. Adicionado a isso, começou a dar os primeiros passos no processo meditativo, tornando-se mais focada e consciente de si mesma.


E o curioso é que no dia que praticava a vontade de pegar um cigarro para fumar, não se apresentava conseguindo até ficar sem ele durante quase o dia todo.


À noite, o sono se tornou melhor, menos agitado e quando aparecia aquela vontade de abrir o maço de cigarros para pegar um e fumar, ao invés disso, buscou os respiratórios, passou a fazer algumas posturas leves que gostava e assim, ao longo do tempo, foi conseguindo se desvencilhar do hábito até então indomado de fumar.


Consoante estudo publicado na Journal of Women’s Health a prática regular de Yoga reduziu significantemente a ansiedade, em especial a tendência de fumar, em um grupo de fumantes que nunca havia praticado. 


Os participantes desse estudo composto na sua grande maioria por mulheres compareceram em aulas de Vinyasa Yoga, com duração 60 minutos, duas vezes na semana, durante o período de oito semanas que consistia em 45 minutos de ásanas seguidos por cinco minutos de respiratórios e meditação e 10 minutos de relaxamento.


Os resultados desse estudo, na verdade, inferem na redução dos sintomas negativos que estão associados com o parar de fumar, diminuindo o estresse e aquele desejo de pegar um cigarro, o que melhorou o humor e a percepção da qualidade de vida.


Essa descoberta é significante porque sugere que a prática regular de Yoga é uma espécie de tratamento viável para as  pessoas que precisam de ajuda no que concerne a parar de fumar, mas que gostariam de evitar o uso de medicamentos.


Muito embora o conceito que a grande maioria tenha do Yoga esteja relacionado a pessoas jovens, magras e flexíveis praticando aquelas posturas difíceis em cima de seus tapetes ou inseridas em cenários estonteantes aos olhos alheios, isso é um dos aspectos menos importantes que a filosofia e a disciplina do Yoga nos apresenta.


É verdade que os ásanas, as técnicas respiratórias, os pranayamas, contribuem de forma muito eficaz para a mudança do padrão mental e fisiológico seja naquela pessoa que é fumante ou não, que agregados à atenção plena resulta em momentos que levam a liberação de qualquer desejo indevido que a prende.

Harih Om!


Nenhum comentário:

Postar um comentário