25 de outubro de 2015

SIMHÁSANA: O LEÃO QUE DESTRÓI TODAS AS DOENÇAS


HUMBERTO J. MENEGHIN


Descrita na Gheranda Samhita como a que destrói todas as doenças, a postura do Leão muitas vezes é deixada de lado durante algumas práticas simplesmente porque o (a) professor (a) a desconhece ou porque a maioria das pessoas podem ainda se sentir inibidas ao abrirem a boca para colocarem a língua para fora e rugirem como um Leão. No entanto, além dos inúmeros benefícios que traz, o Simhásana também estimula o nervo vago, o que proporciona um estado de calma ao praticante.


Inserido no sistema nervoso parassimpático, o nervo vago também é denominado como  nervo pneumogástrico e  ainda como nervo X, o décimo par dos doze nervos cranianos que é responsável pela ação motora e sensitiva.


Demasiadamente importante para a manutenção das funções vitais como o de regular da frequência cardíaca e pressão arterial, a produção de suor e o controle dos movimentos dos intestinos, dos músculos e da boca, o nervo vago ainda compartilha as suas funções com o  nervo glossofaríngeo, em especial na no pescoço, uma vez que são responsáveis pela sensação gustativa, onde o nervo vago está mais relacionado com o azedo e o glossofaríngeo ao sabor amargo.


Sentando-se em vajrásana ou outra postura como sukásana, o praticante que escolheu vajrásana separa os joelhos como se formasse um ângulo com cerca de 90º graus entre eles, para então colocar as mãos entre esse espaço, com as palmas ao chão e os dedos apontando para si ou se quiser poderá manter os braços estendidos e as mãos sobre os joelhos com as pernas juntas, sendo que esta forma também poderá ser adotada se estiver em sukásana. No entanto, nada impede que o Leão que ruge seja feito sentado numa cadeira estando o corpo bem posicionado.



Com o tronco firme e a coluna bem alinhada, o praticante se curva levemente à frente e mantém a cabeça um pouco para trás, para abrir bem a boca e colocar a língua para fora o tanto que puder, em direção ao queixo e leva o olhar ao espaço entre as sobrancelhas em bhrumadhya drishti ou alternativamente para a ponta do nariz em nasikagra drishti como anota a Hatha Yoga Pradipika. Mula bandha, uddiyana bandha e jalandhara bandha podem ser adotados como prevê o referido compêndio.



A respiração é normal, lembrando que quando se solta o ar pela boca ao levar a língua para fora, ruge como o Rei das Selvas: “ahhh...” e, a língua também pode ser levada para os lados nas próximas ações, se o praticante o desejar ou simplesmente continuar indo para frente, em direção ao queixo.


Boa parte dos praticantes ainda estendem os braços à frente com as mãos em garras quando colocam a língua para fora e rugem. Alguns fazem dez ciclos e pausam para observar os efeitos do Simhásana.


O rugir do Leão em si é indicado para aqueles que querem se desinibir, adquirir mais confiança e principalmente para os que trabalham com a voz como locutores, atores, palestrantes, professores e para as pessoas que desejam desenvolver um tom de voz bonito, sonoro e marcante.


Dentre outros benefícios estão: a tonificação dos pulmões, o estímulo da tiróide, dos nervos ópticos, a remoção do mau hálito, desordens na garganta, no nariz, na boca e ouvidos, além de aliviar a tensão dos músculos faciais e até do peito.


A ansiedade se atenua e o bruxísmo é controlado e dizem que até situações que trazem pânico também são diluídas. O curioso é que o plátisma, aquele músculo localizado na frente da garganta é firmemente estimulado para que o queixo duplo não aconteça.

Harih Om!


Nenhum comentário:

Postar um comentário