18 de setembro de 2012

GANESHA CHATURTHI: O DIA DE GANESHA




HUMBERTO MENEGHIN


Anualmente, como de costume, quando a Lua nova está em seu quarto dia, pelo mês Hindu de Bhadrapada, que neste ano, 2012, corresponde ao dia 19 de setembro, os hindus e simpatizantes comemoram o Ganesha Chaturthi, o aniversário do Deus mais querido por eles: Ganesha.

Cantar parabéns para as pessoas queridas e para aqueles que consideramos amigos é uma lembrança agradável para qualquer aniversariante e acaba sendo uma homenagem. Muitos recebem presentes, outros apenas um cumprimento ou uma mensagem eletrônica; no entanto, para comemorar o aniversário de Ganesha, não é necessário nenhum apreço que não seja original, apenas a devoção sincera já basta.




Muitos devotos, na verdade, cultuam Ganesha durante o seu dia, que também se estende por outros dias mais, unicamente como uma forma de agradecer as bênçãos que dele obtiveram na solução de problemas. No entanto, o culto a Ganesha ou qualquer outro Deus que esteja no coração do devoto é puramente desvinculado de qualquer interesse secundário, mesmo que em determinados momentos da vida aqueles que o cultuam a ele recorrem na busca da melhor solução para os problemas que se apresentam, com a conseqüente remoção de obstáculos. Problemas esses que na realidade foram colocados pelo próprio Ganapati.




Tradicionalmente invocado no início de qualquer empreendimento para trazer prosperidade e boa fortuna, o Deus mais popular do Subcontinente é filho de Shiva e Parvati. Homenageado em diversas partes da Índia e até mesmo em alguns outros países como Nepal, Tailândia e Camboja, um dos melhores lugares para celebrar e vivenciar o festival Ganesha Chaturthi é na cidade de Mumbai, onde as comemorações acontecem de uma forma muito especial no templo Siddhivinayak.




Com a presença de inúmeros devotos, que fazem pujas e entoam mantras o tempo todo a esse querido Deus, a celebração não se resume apenas ao templo, pois durante as festividades cerca de dez mil estátuas de Ganesha são exibidas em vários pontos da cidade e também nas casas dos devotos. Essas estátuas recebem um ungüento da cor vermelha que é feita de kurkuma e pasta de sândalo, enquanto hinos védicos do Rig Veda, do Ganapati Atharva Shirsha Upanishad e o Ganesha Stotra do Narada Purana são cantados.




Festejado durante onze dias consecutivos, o Ganesha Chaturthi, conta com um grand finale que é o Ananta Chaturdasi, que acontece no último dia, 30 de setembro, em 2012, quando a Lua se torna cheia.

Nesse dia, a estátua de Ganesha é levada pelas ruas numa espécie de procissão que é acompanhada por mais cânticos e dança. E, após a oferenda de cocos, flores e cânfora, a estátua da deidade é imersa no rio ou no mar, simbolizando esse ritual, Ganesha Visarjane, a jornada de Ganesha até o monte Kailash cuja principal finalidade é levar embora todos os infortúnios de seus devotos.




A remoção de um obstáculo pode ser comparada ao retirar de uma fita adesiva transparente que está colada indevidamente sobre um papel. Então, com cuidado, para não arruinar o papel todo branco e imaculado, a fita vai sendo removida, aos poucos, e por fim libera o papel e se libera, sem que haja qualquer dano tanto ao papel quanto à fita adesiva. Porém, se a fita não for retirada com o devido cuidado poderá danificar o papel e também se danificar; e, mesmo que o obstáculo tenha sido removido marcas restaram em ambos.




Não é raro encontrar, na Índia, pessoas de outras religiões, como mulçumanos, jainistas e cristãos participando do Ganesha Chaturthi. No entanto, não importando o lugar ou país onde se encontre, o devoto de Ganapati saberá verdadeiramente se entregar a esse culto para agradecer e sobretudo ter a certeza de que o que antes parecia ser um obstáculo intransponível já não o é mais; pois, Ganesha já fez a sua parte, removendo-o de todo o modo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário